A falta de tempo e a busca por qualidade de vida nas grandes cidades têm estimulado as construtoras a criar prédios com espaços para a prestação de serviços dentro dos condomínios. Lavanderia, sapataria, aula de teatro e até aluguel de carro estão entre as facilidades vendidas no lançamentos. Os serviços seguem o sistema pay per use (pague pelo uso, em inglês). Eles não estão incluídos na despesa mensal de condomínio, que costuma englobar os custos com segurança e manutenção do prédio, por exemplo. São cobrados à parte, conforme são usados. A construtora Vitacon, especializada em imóveis pequenos, projeta empreendimentos com lavanderia coletiva, porque seus apartamentos geralmente não comportam tanque e máquina de lavar roupas. O serviço de limpeza do apartamento é outro dos diferenciais oferecidos. No empreendimento Affinity, localizado na Vila Olímpia, em São Paulo, a limpeza semanal do apartamento, contratada pelo período de um mês, custa R$ 390. Lavar até dez quilos de roupa sai a R$ 20. Os últimos lançamentos da Vitacon também têm setores de compartilhamento de carros e bicicletas. O condomínio terá de contratar uma empresa terceirizada, que vai definir os modelos de veículos e seguros incluídos no serviço. A expectativa, segundo o CEO da Vitacon, Alexandre Frankel, é que o preço médio do aluguel do carro, por exemplo, seja de R$ 90 por dia. Passadeira, sapataria e costura A Esser oferece serviços de limpeza e arrumação, manutenção básica (pequenos reparos no apartamento), lavanderia, tinturaria, passadeira, conserto de sapatos e costura, entre outros, em prédios com apartamentos de até 50 m². Os preços variam de acordo com o tempo de trabalho ou tamanho do imóvel: pode-se contratar uma diarista por um turno de quatro horas por R$ 45,20, por exemplo. “Todo mundo, hoje em dia, tem pouco tempo. Se pensarmos num casal jovem, os dois trabalham fora, não existe mais uma pessoa para cuidar do lar”, diz Fábio Sousa, diretor comercial da Esser. Segundo ele, prédios que oferecem serviços extras costumam ter um pequeno acréscimo no condomínio, uma vez que é preciso arcar com a gestão de mais funcionários, como faxineiros e concierge (um tipo de secretário dos moradores), por exemplo. Aula de dança e de teatro Outra empresa que viu nos serviços pay per use uma oportunidade de negócio foi a Brookfield, que criou o conceito 4 Family. Os empreendimentos são projetados com espaços adequados para a oferta de serviços como aulas de dança, música e teatro, que são fornecidos por empresas parceiras. Um dos prédios que usam o sistema é o Vanguarda Caminhos da Lapa, em São Paulo, que tem apartamentos de 128 m² a 157 m², a partir de R$ 1 milhão. Lá, foram firmadas parcerias com a escola de balé Carla Perotti, a Escola Música Brasil e o Teatro Escola Macunaíma, entre outras empresas. “Hoje, ao conceber um imóvel, temos de pensar em todo tipo de comodidade que o empreendimento pode oferecer para as famílias, principalmente em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro”, diz Ricardo Laham, diretor de Negócios de SP da Brookfield Incorporações. Segundo ele, diferentemente dos prédios com apartamentos pequenos, onde o foco são serviços de conveniência, nos imóveis de alto padrão, a ideia é oferecer facilidade e segurança para pais e filhos, que podem fazer atividades dentro do próprio condomínio. A empresa não informa os preços. http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2014/09/29/servicos-extras-em-condominios-incluem-aula-de-teatro-e-aluguel-de-carro.htm